leia comigo

Leia comigo - bit.ly/lkLeiaComigo



Entre haikais e canções, poemas concretos e líricos, Toda poesia percorre, pela primeira vez, a trajetória poética completa do autor curitibano e revela por que Paulo Leminski é um dos poetas brasileiros mais lidos das últimas décadas.


a palmeira estremece
palmas para ela
que ela merece

roupas no varal

deus seja louvado
entre as coisas lavadas

a chuva vem de cima
correm
como se viesse atrás

Paulo Leminski foi corajoso o bastante para se equilibrar entre duas enormes onstruções que rivalizavam na década de 1970, quando publicava seus primeiros versos: a poesia concreta, de feição mais erudita e superinformada, e a lírica que florescia entre os jovens de vinte e poucos anos da chamada “geração mimeógrafo”.

Sonetos de Camões

1. Eu cantarei de amor tão docemente 2. Enquanto quis Fortuna que tivesse 3. Pois meus olhos não casam de chorar 4. Se tanta pena tenho merecida 5. Tanto de meu estado me acho incerto 6. Quando da bela vista e doce riso 7. Num tão alto lugar, de tanto preço 8. Amor é um fogo que arde sem se ver 9. Vós que, de olhos suaves e serenos 10. Vossos olhos, Senhora, que competem 11. Quem diz que Amor é falso ou enganoso 12. Senhora, se de vosso lindo gesto 13. Contente vive já, vendo-me isento 14. Um mover d’olhos, brando e piedoso 15. Quem vê, Senhora, claro e manifesto 16. De quantas graças tinha, a Natureza 17. Tornai essa brancura à alva açucena 18. Ondados fios de ouro reluzente 19. Num bosque que das Ninfas se habitava 20. Chorai, Ninfas, os fados poderosos 21. Amor, que o gesto humano n’alma escreve 22. Transforma-se o amador na cousa amada 23. Posto me tem Fortuna em tal estado 24. Aquela triste leda madrugada 25. Quando o sol encoberto vai mostrando 26. Alma minha gentil, que te partiste 27. Ah! minha Dinamene! Assim deixaste 28. O céu, a terra, o vento sossegado 29. Cara minha inimiga, em cuja mão 30. Doces águas e claras do Mondego 31. Senhora minha, se a Fortuna inimiga 32. Aqueles claros olhos que chorando 33. Quando de minhas mágoas a comprida 34. A formosura desta fresca serra 35. Alegres campos, verdes arvoredos 36. Já tempo foi que meus olhos folgavam 37. Julga-me a gente toda por perdido 38. O tempo acaba o ano, o mês e a hora 39. Sete anos de pastor Jacob servia 40. Cá nesta Babilônia, donde mana 41. O dia em que eu nasci moura e pereça 42. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades 43. Doce sonho, suave e soberano 44. Apolo e as nove Musas, descantando 45. Busque Amor novas artes, novo engenho 46. Erros meus, má fortuna, amor ardente 47. Se as penas com que Amor tão mal me trata 48. Com voz desordenada, sem sentido 49. Em prisões baixas fui um tempo atado 50. Ah, Fortuna cruel! Ah, duros Fados! 51. Correm turvas as águas deste rio 52. Verdade, Amor, Razão, Merecimento 53. “Não passes, caminhantes!” “Quem me chama?” 54. Desce do Céu imenso, Deus benino 55. Os reinos e os impérios poderosos 56. Vencido está de Amor meu pensamento 57. Está o lascivo e doce passarinho 58. Pede-me o desejo, Dama, que vos veja 59. Como quando do mar tempestuoso 60. De vós me aparto, ó vida! Em tal mudança 61. Na ribeira de Eufrates assentado

Veja o vídeo


 

São profissionais liberais; mães que lutaram pela alforria da família; ativistas e revolucionários; curandeiros e médicos; líderes religiosos que reinventaram outras Áfricas no Brasil, pessoas cujas feições foram apagadas pela história.


Em "O espetáculo da corrupção", o advogado Walfrido Warde radiografa os efeitos devastadores dos crimes de colarinho branco no Brasil e analisa os equívocos do sistema criado para enfrentar a roubalheira. Ele explica que não precisamos destruir o capitalismo brasileiro para combater a corrupção, não precisamos destruir as empresas para punir os empresários corruptos e tampouco precisamos destruir a política para prender os políticos corruptos.


Estatisticamente, com o advento dos equipamentos eletrônicos e da internet, perde-se a chance de queimar de 1,5 mil a 2 mil calorias por dia. Isso faz com que a população esteja cada vez mais acima do peso e seja muito menos ativa do que há trinta anos. Mas, afinal, como conciliar academia e uma dieta rigorosa com a rotina de trabalho para entrar em forma? A receita tem nome - NEAT. Sigla em inglês para atividade termogênica sem exercícios, NEAT é o movimento praticado nas atividades mais banais, como se levantar, andar etc. - e que, comprovadamente, queimam mais calorias do que meia hora de exercício na esteira.




Aliado ao belga Jean Bricmont, da Universidade de Louvain, Alan Sokal, da Universidade de Nova York, mostram, em Imposturas intelectuais, os abusos de terminologia científica e aparente erudição feitos por renomados intelectuais. Este livro abriu um debate sobre os parâmetros de rigor intelectual e honestidade. Uma contribuição muito oportuna e corajosa.




Retomando diversas discussões presentes nas obras de Karl Marx e Friedrich Engels, a autora aponta como a exploração de trabalhos como o doméstico e o de cuidados, exercido sem remuneração pelas mulheres, teve e tem papel central na consolidação e na sustentação do sistema capitalista. Revisitando a crítica feminista ao marxismo e trazendo para o debate perspectivas contemporâneas sobre gênero, ecologia, política dos comuns, tecnologia e inovação, Federici reafirma a importância da linguagem, dos conceitos e do caráter emancipador do marxismo. Ao mesmo tempo, esclarece por que é preciso ir além de Marx e repensar práticas, perspectivas e ativismo a fim de superar a lógica social baseada na propriedade privada e desenvolver novas práticas de cooperação social.


Um comediante fracassado – Arthur Fleck (Joaquin Phoenix), se depara com criminosos violentos enquanto vaga vestido de palhaço pelas ruas da Cidade de Gotham. Ignorado pela sociedade, Fleck inicia uma viagem rumo à loucura para se transformar numa das maiores mentes criminosas que já existiram: O Coringa. 

Em sete livros que se tornaram o maior fenômeno editorial de todos os tempos, com mais de 450 milhões de exemplares vendidos e traduções em 78 idiomas, Harry Potter não é exposto apenas a batalhas e feitiços. Ele precisa superar traições, surpresas e, sobretudo, aprender a lidar com os próprios sentimentos. O amor, a amizade e claro, uma boa dose de magia e imaginação, são os elementos-chave para da maior saga bruxa de todos os tempos.

BAIXE GRATUITAMENTE

                       
Coletânea de textos publicados por seus autores e/ou instituições sobre o tema Primeira Infância na internet, selecionados pelo prof. Donizete Soares, com o objetivo de contribuir para a formação de pais e/ou responsáveis, assim como  dos profissionais que atuam junto aos bebês e crianças pequenas.

click nas imagens das capas

                        

Em 1995, Vianna Stibal, mãe de três filhos, foi diagnosticada com um câncer que estava destruindo rapidamente seu fêmur direito. Tudo o que ela tentou usar – tanto medicina convencional quanto alternativa – falhou, até que empregou uma técnica simples que ela usava em seu trabalho de leitura intuitiva. Maravilhada por ter se curado instantaneamente, Vianna começou a usar essa abordagem em suas sessões com clientes e viu várias pessoas terem o restabelecimento da saúde miraculosamente. 



É possível recomeçar a vida depois de 20 anos aprisionada em um relacionamento abusivo? Como vencer a vergonha, o medo e a frustração de uma relação que começou com flores e juras de amor e terminou com ameaças, agressões físicas e prisão? Essa é a história autobiográfica que Daniela Schanen se dispôs a contar em seu livro.


Os versos cantam o amor, a guerra, as religiões abraâmicas, o zoroastrismo, a sabedoria popular, a própria poesia, a mística islâmica do sufismo, bem como o êxtase da sensualidade e dos prazeres do corpo, incluídos aí a comida e o vinho. Aos poemas segue-se uma seção em prosa, em que Goethe destrincha seu fazer poético, suas fontes e brinda suas ideias sobre a história da literatura e da tradução. Outro encontro marcante na história do Divã é o de Goethe com Marianne von Willemer. A jovem é a interlocutora do jogo dialógico-amoroso presente em todo o Divã, onde assume a figura de Zuleica e Goethe, a de Hatem. No “Livro de Zuleica”, três poemas são da pena de Marianne, embora nunca creditados.


Os poemas dessa coletânea, ilustrada pela autora, inspiram uma conversa interna em cada uma, em cada um, lembrando que precisamos nos preencher de amor, de aceitação e de confiança em nossas relações familiares e de comunidade. e, sempre, que precisamos estar de braços abertos para as mudanças em nossas vidas. mergulho na nascente do meu corpo e chego a outro mundo eu tenho tudo o que preciso aqui dentro não há motivo para procurar em outro lugar – meu corpo minha casa.


O que fazia o policial Fabrício Queiroz antes de se tornar conhecido em todo o país como aliado de primeira hora da família Bolsonaro? E o líder miliciano Adriano da Nóbrega, matador profissional condecorado por Flávio Bolsonaro e morto pela polícia em 2019? E o ex-sargento Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco e morador do mesmo condomínio do presidente da República na Barra da Tijuca? Os três foram protagonistas de uma forma violenta de gestão de território que tomou corpo nos últimos vinte anos e ganha neste livro um retrato por inteiro: as milícias. Eles são apresentados ao lado de policiais, traficantes, bicheiros, matadores, justiceiros, torturadores, deputados, vereadores, ativistas, militares, líderes comunitários, jornalistas e sobretudo vítimas de uma cena criminal tão revoltante quanto complexa.

O livro se constrói a partir de depoimentos de protagonistas dessa batalha. São entrevistas que chocam pela franqueza e riqueza de detalhes, em que assassinatos se sucedem e as ligações entre policiais, o tráfico, o jogo do bicho e o poder público se mostram de forma inequívoca. Num cenário em que o Estado é ausente e as carências se multiplicam, a violência se propaga de forma endêmica, mas deixa no ar a questão: qual a alternativa?
A resposta está longe de ser simples. Sobretudo num país de urbanização descontrolada e cultura política permeável ao autoritarismo. Dos esquadrões da morte formados nos anos 1960 ao domínio do tráfico nos anos 1980 e 1990, dos porões da ditadura militar às máfias de caça-níquel, da ascensão do modelo de negócios miliciano ao assassinato de Marielle Franco, este livro joga luz sobre uma face sombria da experiência nacional que passou ao centro do palco com a eleição de Jair Bolsonaro à presidência em 2018.
Mistura rara de reportagem de altíssima voltagem com olhar analítico e historiográfico, A república das milícias expõe de forma corajosa e pioneira uma ferida profundamente enraizada na sociedade brasileira. 


 Por muitos anos o Direito manteve-se estanque, quase alheio às mudanças pelas quais a sociedade passava, divergindo ora pela jurisprudência que se construía, ora por comparar, em via muito estreita, nosso ordenamento com o de outros países.

Mas a mudanças começaram a ser de tal ordem, que impôs-se ao mesmo a necessidade de evolução, para que pudesse continuar sendo considerado como grande marco balizador da sociedade brasileira. E não foram só as mudanças comportamentais da sociedade que impuseram tais mudanças, mas principalmente e em razão dela, a impactante evolução das tecnologias, que do dia para a noite, mudaram os hábitos de um planeta inteiro.


 O livro traz a revisão das 39 disciplinas (impresso e on-line) que mais aparecem nos principais concursos jurídicos do País.

Mesmo sendo uma obra de revisão, num volume apenas, buscou-se a todo tempo apresentar o conteúdo mais completo possível, com jurisprudência atualizada e altíssima sistematização, tornando o livro material de excelentes conteúdo e qualidade.


A Vida Não me Assusta é um pequeno livro de arte para crianças valentes, que enfrentam fantasmas e meninos brigões da escola com a cabeça erguida. É até difícil não se apaixonar por este livro.


 Com este livro o leitor será introduzido na filosofia política e mergulhará na mente de grandes pensadores como Platão Aristóteles Tomas Hobbes John Locke Montesquieu JeanJacques Rousseau Immanuel Kant Karl Marx Max Weber Herbert Marcuse Theodor Adorno Michel Foucault John Rawls entre outros gênios da filosofia"


 Os capítulos deste livro analisam as políticas públicas no Brasil dentro do seu marco institucional, tomando a Constituição Federal como a matriz central da ação do governo. Eles foram organizados em três partes. A primeira, Raízes institucionais das políticas públicas, reúne três textos que abordam a formação do Estado brasileiro, suas relações com as políticas públicas e o federalismo. A segunda parte, sob o tema Gestão das políticas públicas, reúne capítulos que analisam questões relativas à governança e gestão comuns a todas as políticas públicas. E a terceira parte, Análise institucional de algumas políticas públicas no Brasil, reúne capítulos sobre sete políticas setoriais.


 No Brasil as relações entre o direito e a política passaram por profundas modificações, em especial, pós-Constituição de 1988. Necessário se faz assegurar um campo para o estudo e análise crítica dos desafios do Estado atual, em meio às crises econômicas, conflitos sociais, questões migratórias, desafios ambientais, entre outros.



Este livro faz parte da coleção 'Como reconhecer a arte' e apresenta, através de ilustrações a cores, uma análise da arquitectura, da escultura e da pintura de cada época que constitui a História da arte. 



50 CONTEMPORARY ARTISTS YOU SHOULD KNOW


Dos inícios dos desenhos rupestres à pintura contemporânea, este volume constitui um manual perfeito para qualquer leitor que queira conhecer como se processou a evolução desta arte. A completar as explicações, foram incluídos cerca de 500 quadros e pinturas murais a cores para aprender a observar a pintura. Os quadros mais importantes e transcendentais de cada época são analisados pormenorizadamente: o autor, a técnica utilizada, as cores empregues, a temática, etc. Desta forma, o conhecimento da obra é global e completo, com todos os parâmetros necessários para a sua correcta compreensão.



Este livro mostra como, conjugando as preocupações da época, a arte reflete a imagem de uma sociedade que encontra um meio de manifestar a sua hegemonia e riqueza.


Com apresentação de Luís Augusto Fischer, o mais recente trabalho de Celso Gutfreind reúne uma centena de poesias. Afirmando que retoma sua identidade verdadeira, diz - 'Os temas, como sempre, poucos; as origens, a infância, a poesia (a arte), a filosofia, as viagens, o amor (a maior parte), a paternidade. E a morte. Nesta ordem. Com custo, peso, ardência e a desordem, que defende, sem bandeira nenhuma, só com o ritmo e a forma, em busca da grande porrada. Da poesia, pura outra vez, até o fim, enquanto puder suportar'. As primeiras linhas do poema que dá título ao livro são estas - 'A desordem é perto da doença mas não a doença'. 

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com